Esquilos Bi Turbina na Marinha


História e Desenvolvimento. 

Logo após o voo dos dois primeiros protótipos do AS 350 Ecuriel (Esquilo), terem alçado voo entre 27 de junho de 1974 e 14 de fevereiro de 1975, a companhia francesa Aérospatiale iniciou o desenvolvimento de uma versão bi turbina para a aeronave, visando assim preencher todos os nichos de mercado com sua nova linha de helicópteros, em 28 de setembro de 1979 a primeira célula destinada a teste e avalição fazia seu primeiro voo na França, recebendo a designação de AS-355  Ecureuil 2 ou Twin Squirrel.

A primeira versão de produção AS-355E estava equipada com dois motores  Allison 250-C20F com 420hp cada com sistema hidráulico simples, sendo substituída pela versão AS-355F que contava com um duplo sistema hidráulico para fins de melhorar o desempenho e segurança em voo, novas versões foram sendo implementadas entre as militarizadas (Fennec) , em termos de performance o emprego de dois motores tornaria o modelo ideal  missões de busca e salvamento, patrulha e esclarecimento marítimo, entre outras que possam exigir um maior nível confiabilidade em termos de operacionalidade , porém este modelo nunca conseguiu desenvolver um volume de vendas semelhante a versão mono, isto motivou a empresa a buscar uma nova linha de produtos para atendimento deste nicho especifico que viria a se concretizar com o lançamento do Eurocopter EC-130 no ano de 2001.

Em setembro de 2015, a então Airbus Helicopters , dentro de seu planejamento estratégico divulgou sua decisão de descontinuar toda a família AS-335, como parte de um esforço para se concentrar na produção de novos modelos e também da versão AS-350 que ainda representa um dos principais da empresa atualmente, no entanto com o objetivo de se anteder a carteira de encomendas existentes, o modelos bi turbina deverá se manter em atividade até meados do ano de 2016.

As versões militarizadas encontram-se em serviço em forças armadas de países como Argentina, Algeria, Belarus, Brasil, Camboja, Canada, Chile, Djibouti, Malasia, Jamaica, Malawi, Ruanda e Uruguai . Entre os clientes ainda podemos encontrar a Russia que opera suas unidades junto ao ministério do Interior, e Estados Unidos , junto a policia estadual de Massachusetts.

Emprego no Brasil. 

Em meados da década de 1980, o governo brasileiro  firmou junto ao fabricante francês Aérospatiale    um novo acordo de aquisição de novas aeronaves de asas rotativas para serem produzidas no Brasil pela Helibras, sendo que nesta etapa o modelo selecionado foi o AS-355 Twin Squirrel, que receberia a designação local de HB-355F2 Esquilo Bi Turbina, esta versão se diferenciava das anteriores por contar com um novo sistema de compensação (Yaw Compensation System), que facilitava sua operação em voo.

Este acordo envolvia o fornecimento de dez células a Força Aérea Brasileira, sendo duas na versão VIP para transporte de autoridades e oito na configuração de transporte, e mais dez unidades para a Marinha Brasileira, que começaram a ser entregues entre os anos de 1985 e 1987. Todas as aeronaves a exceção da recebidas no padrão de transporte especial, receberam a possibilidade de portar armamentos, entre eles casulos de metralhadoras 12,7 mm, lançadores de foguetes não guiados de fabricação nacional SBAT 70/7 e metralhadoras laterais instaladas nas portas laterais.

Os dos principais motivos da aquisição desta versão na Marinha do Brasil, foi a necessidade de se dispor de uma aeronave com dois motores para se garantir a segurança em voo em grandes deslocamentos sobre o mar ou ainda junto as missões brasileiras no continente Antártico. Ao serem recebidas passaram a receber a designação UH-13, sendo então destinadas as unidades como o Primeiro Esquadrão de Emprego Geral (HU-1) e o Quinto Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-5 ).

Além das missões atuais relacionadas a transporte, os UH-13 ainda atuam em missões de proveito ao Corpo de Fuzileiros Navais e atividades de reconhecimento armado, ataque e suporte, estando envolvidos em treinamentos de desembarque anfíbio, podem ainda ser empregados em missões de esclarecimento marítimo, fazendo uso de seu radar Bendix 1400C que pode ser utilizado para a localização de embarcações.

O advento da melhor motorização e a capacidade de voo por instrumentos conferiu ao UH-13 o perfil ideal para as missões da Marinha relacionadas ao Proantar (Programa Antártico Brasileiro) substituindo assim o UH-12 originalmente utilizado, sendo que geralmente duas aeronaves são embarcadas no navio de apoio oceanográfico H-44 Ary Rangel ou no navio polar H-41 Almirante Maximiano.

Após quase 30 anos em operação, todos os UH-13 remanescentes foram concentrados no Primeiro Esquadrão de Emprego Geral (HU-1), baseado em São Pedro de Aldeia no Rio de Janeiro, a exemplo dos UH-2, o as células começam a sentir o peso da idade e o desgaste natural, e não sendo aconselhável a aplicação de nenhum programa de modernização,  a solução logica é a substituição por vetores novos ,sendo este o objetivo do Programa UHP que vem ao longo dos últimos dois anos analisando e testando aeronaves para enfim aposentar os UH-1 Esquilo Bi Turbina da aviação naval.

Em Escala.

Para representarmos o UH-13 “ MB 7065 “ empregamos um modelo artesanal confeccionado em resina ( ver review completo ) que apresenta uma das versões do Ecureuil francês na escala 1/48 (ou 1/50 como aparenta ser) sendo o mesmo derivado do kit original da Heller, para adequação a versão brasileira procedemos a alteração dos exaustores laterais das turbinas incluindo também dois na parte superior da aeronave, também substituímos os esquis de pouso,  pelos contidos no modelo original da Heller. Empregamos decais confeccionados pela FCM presentes no set 48/07B, efetuando a alteração dos numerais de matricula por decais originários de outros sets.
O esquema de cores (FS) descrito abaixo representa o segundo e atual padrão de pintura empregado nas aeronaves Helibras UH-13 Esquilo  em operação na Marinha Brasileira, mas marcações de alta visibilidade em laranja são empregadas ocasionalmente em células destinadas a operação no Proantar (Programa Antártico Brasileiro).

Bibliografia :

- Eurocopter AS 355  Wikipédia - http://en.wikipedia.org/wiki/Eurocopter_AS355
- O Tudão Esquadrao HU-1 – Revista Força Aérea Nº 70
- Asas sobre os Mares Aviação Naval Prof. Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/Asas%20sobre%20os%20mares/index.html