M-32 Recovery Vehicle no Exército Brasileiro


História e Desenvolvimento. 

O primeiro semestre do ano de 1942 presenciou o recebimento no Exército Americano em larga escala do novo tanque médio M4-A1 Sherman, que tinha por finalidade a substituição nas unidades de linha de frente os antigos modelos M-3 Lee/Grant, que representavam até então o esteio de força blindada norte americana, visando a padronização da linha de suprimentos de peças de reposição, decidiu-se também desenvolver uma versão de viatura blindada especial de socorro que viesse a substituir os atuais M-31 nesta função.

A base para a concepção do novo veículo, se deu a partir do modelo M-4A1 Sherman, que era facilmente reconhecido por dispor de escotilhas ovais menores para o motorista e seu auxiliar, empregava ainda  o casco soldado em ângulo acentuado, não contemplando ainda as usuais blindagens extras externas. Os primeiros modelos começaram a ser entregues em meados de 1942, sendo montados a partir de carros já produzidos originalmente como carro de combate.

Basicamente toda a estrutura dedicada as operações de socorro e manutenção foram incluídas sobre a base padrão das versões do M-4 Sherman, infelizmente a necessidade em se entregar o máximo possível de carros de combate, limitou em muito o emprego imediato do M-32 Recovery Vehicle nos teatros de operações europeu e asiático, tendo participado ativamente do conflito a partir dos desembarques aliados na Itália e na Normandia.

Um fato interessante a se estudar e que apenas 111 veículos foram produzidos especificamente como M-32 sendo que grande maioria foi composta por unidades convertidas de carros prontos, as versões subsequentes a inicial entregue em meados de 1942 foram desenvolvidas acompanhando a evolução da plataforma do M-4 Sherman em suas versões melhoradas, tendo atingido a ordem de 1.562 unidades dispostas nos seguintes modelos 

- M32 = 163 unidades convertidas
- M32B1 = 1.055 unidades convertidas /produzidas 
- M32B2 = 26 unidades convertidas
- M32B3 = 318 unidades convertidas

Nas etapas finais do conflito , a frota de M-32 começou a ser recomplementada e substituída pelos novos M-74 Recovery Vehicle, sendo este baseado no M-4A3E8, dotado de suspensão HVSS ,modelo que apresentava grandes melhorias sobre seu antecessor.

Logo após o termino do conflito da Europa e depois na Coreia, algumas centenas de unidades foram cedidas a nações amigas apoio ao enorme acervo de blindados M-4 Sherman fornecidos nos termos do Leand Lease Act ou MAP (Military Assistance Program).

Emprego no Brasil. 

No início da década de 1950, o Exército Brasileiro viria a receber nos termos do MAP (Military Assistance Program) começou a receber lotos de equipamento militares oriundos do Estados Unidos, entre eles novos lotes do carro de combate M-4 Sherman, peças de reposição para os mesmos, incluindo neste pacote o modelo M-32 (versão inicial da família ) viatura blindada especial de socorro. 

São poucas as informações existentes sobre a operação deste veículo no Exército Brasileiro, existem narrativas e registros que pelo menos dois deles foram operados pelo 1º Batalhão de Carros de Combate (BCC), em apoio aos efetivos de carros de combate M-4 Sherman, sendo estes os primeiros veículos do tipo empregados no Brasil e   receberam os apelidos de “Sansão” e “Dalila”, apesar de serem recebidos juntamente com três unidades do modelo mais recente da família, o  M-74, estas poucas unidades tiveram a missão de desenvolver a doutrina de operação deste tipo de missão em campo, junto as unidades de carros de combate de cavalaria blindada pertencentes ao Exército Brasileiro.

Ficaram em operação até o início da década de 1980, sendo substituídos pelos M-578 Recovery Veihcles recebidos anteriormente, pelo menos um dos veículos, o de matricula EB 13-115, hoje apelidado de “Quebra Galho” encontra-se preservado e operacional junto ao 8º Batalhão Logístico, sediado em Porto Alegre – RS. 

Em Escala.

Para representarmos o M-32 “EB 13-115”, fizemos uso do excelente kit da Italeri na escala 1/35, porém para se representar a versão brasileira, deve-se proceder a troca do casco pertencente a versão M-4A1 presente no kit da Tamiya, sendo necessário também realizar alterações nos pontos de fixação do guindaste, caixas de ferramentas e suporte do rádio presente na parte frontal do veículo. Empregamos decais confeccionados pela empresa Eletric Products pertencentes ao set “Exército Brasileiro 1942/1982".
O esquema de cores (FS) descrito abaixo representa o padrão de pintura empregados pelos veiculos M-32 em seu período de operação no Brasil e mantido até a atualidade na viatura preservada junto ao acerco do 8º Batalhão Logístico.





Bibliografia:

- M-32 Recovery Veihcle -http://www.usarmymodels.com/AFV%20PHOTOS/M32%20TRV/M32%20TRV.html
- M-4 Sherman  – Wikipedia - https://en.wikipedia.org/wiki/M4_Sherman ttps://en.wikipedia.org/wiki/Curtiss_JN-4
- M-4 Sherman no Brasil – Helio Higuchi e Paulo R. Bastos Junior.