P-40E, o primeiro Warhawk



Historia e Desenvolvimento :

Sua origem  data  de 1938, sendo inicialmente considerado um aperfeiçoamento do seu antecessor o modelo P-36, este processo se fez necessário em virtude da urgência em se desenvolver uma aeronave mais capaz no menor espaço de tempo possível, podendo assim suprir em larga escala a frota da  USAAF ( United States Air Army Force ) de um vetor atualizado para contrapor as ameaças eminentes de um novo conflito mundial que se avizinhava no final desta década.

Em 14 de outubro de 1938, sob o comando do piloto de testes Edward Elliot, era realizado o primeiro voo do protótipo designado XP-40, que nada mais era que um modelo P-36 de produção original modificado para portar um motor em linha Allison V-1710 refrigerado a liquido, destacava-se em seu perfil um predominante radiador de glicol disposto sob o ventre da célula, apesar ainda do modelo do motor representar a mesma potência do radial, e sua área de atrito ser reduzida, os patamares de velocidade ainda estavam aquém dos pretendidos, levando assim a equipe de engenheiros a estudar novas alterações. Assim desta maneira a partir de março de 1939 um novo protótipo viria a iniciar testes de voo, ja apresentando o radiador de glicol disposto abaixo do nariz da aeronave, esta importante alteração aliada a outras como redesenho das portas do trem pouso, disposição do sistema de escape e novo lay out do radiador de óleo proporcionaram ao modelo atingir níveis de desempenho aceitáveis pela USAAF permitindo assim o início de sua produção em escala industrial em vistas a atender uma encomenda inicial de 542 unidades, que seriam seguidas por encomendas de países como Inglaterra, China Nacionalista e França, e ainda sendo fornecido a posteriori centenas de células a União Soviética.

As versões iniciais A, B e C , quando expostas ao cenário real de combate apresentaram deficiências, sendo principalmente sobrepujadas pelos modelos japoneses , levando assim a necessidade de uma nova variante , que seria designada P-40E que apresentava uma nova versão do motor Alisson com uma potência de 1.150 hp, além de serem acrescidos mais duas metralhadoras Browning M-2 , este novo modelo suportou bravamente os combates iniciais no ano de 1942, a produção total deste modelo atingiria a casa das 1.500 unidades.

Emprego no Brasil :

No início de 1942 a jovem Força Aérea Brasileira, estava em pleno processo de estruturação e crescimento sendo beneficiada pelos termos do acordo Lend Lease Act ( Acordo de Empréstimo e Arredamento ), começado a receber inúmeros modelos de aeronaves americanas , que seriam empregadas em missões de patrulha e defesa da costa nordeste do pais, neste mesmo ano em abril a FAB pelo termo Leand Lease B-905 a  receberia seis células da versão P-40E-1-CU , estas aeronaves novas de fabricas estavam destinadas a atender uma encomenda da RAF ( Royal Air Force ) e ostentavam o padrão de pintura desta arma área, dispondo ainda das famosas "Shark Mouth" (bocas de tubarão) pintadas na fuselagem, e foram desviadas ao Brasil para atender a urgência no processo de reequipamento. Estas aeronaves vieram com suas matriculas originais ET-742, ET-778, ET-779, ET-780, ET-782 e ET-785, sendo as mesmas alteradas para FAB 01 á 05 e posteriormente em 1942 como FAB 4020 á 4025.

Infelizmente o P-40E "FAB 05" sofreu um acidente em Recife em um voo de adestramento, as demais células foram alocadas inicialmente no Agrupamento de Aviões de Adaptação quer era baseado em Fortaleza e era destinado a formação e adaptação dos pilotos, realizando também paralelamente missões de patrulhamento e cobertura aérea de comboios em transito pela costa do Nordeste.  Neste mesmo período foram incorporadas novas células de diversas variantes do P-40 permitindo assim a criação de novas unidades com modelos mistos, tendo os modelos "ECO" operados pelas unidades de Agrupamento de Aviões de Adaptação, Agrupamento de Aviões P-40, Grupo Monoposto Monomotor, 2º Grupo de Caça, 1º Gp Misto de Aviação, 2º Grupo Monoposto Monomotor, 3º Grupo de Caça, , 4º Grupo de Caça, Pama SP e finalmente a partir de 1945 passariam a integrar a dotação do  1º/14º Grupo de Aviação de Caça , unidade esta que concentraria todas as unidades restantes deste modelo no pais até o ano de 1954, quando as três últimas células restantes do modelo "Eco" seriam desativadas do acervo da Força Aérea Brasileira.

Em Escala :

Para representarmos o P-40E " FAB 02 "  optamos pelo antigo kit da Arii na escala 1/48,o modelo  apresenta qualidade razoável de injeção e montagem, apresentando como diferencial a possibilidade de expormos  o motor da aeronave. Fizemos uso de decais confeccionados pela FCM presentes no set 48/02.

O esquema de cores ( FS ) descrito abaixo representa o padrão de pintura original  da RAF ( Royal Air Force ), empregado em todas as células do P-40E desde seu recebimento até as primeiras revisões completas de parque em 1945, quando passaram a ostentar o padrão final metálico de pintura. 



Bibliografia :

- Curtiss P-40 Warfawk  - Wikipedia - http://en.wikipedia.org/wiki/curtiss_P-40_warhawk
- Historia da Força Aérea Brasileira , Prof Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html
- Curtiss P-40 Um Caça Puro Sangue na FAB , Aparecido C.Alamino - Revista Asas Edição Nº 40
- Aviação Militar Brasileira 1916 / 1984 - Francisco C. Pereira Netto