De Havilland Tiger Moth no Brasil



Historia e Desenvolvimento :

O De Havilland DH-82 foi um biplano de treinamento básico, projetado pelo engenheiro Geoffrey Havilland no ano e 1930 a pedido da RAF ( Royal Air Force ), para o desenvolvimento de um vetor mais capacitado com a finalidade de substituir os modelos DH-60 Gipsy Moth em uso até então.

A base de estudo foi o próprio modelo anterior, além de se proceder mudanças para melhora no desempenho, foram incluídas alterações que visavam aumentar nos níveis de segurança em operação da aeronave, melhorando o acesso ao cockpit frontal que permitia um maior índice de sucesso em caso de pane , possibilitando o aluno saltar de paraquedas com maior facilidade , para se atingir este objetivo a asas superior foi completamente redesenhada, a disposição do sistema de escape foi alterado, novos reforços estruturais foram incluídos. Dotado com um novo motor Havilland  Gipsy de 120 cv , o primeiro protótipo alçou voo em 26 de outubro de 1931, tendo o piloto de testes Hubert Broad nos controles.

O primeiro pedido da RAF compreendeu 35 células, que logo foi complementado por mais um pedido de 50 unidades que estavam dotadas de um motorização melhor de 130 cv que receberiam a designação DH-82A ou Tiger Moth II. Em fevereiro de 1932 estes modelos entraram em plena operação no Central Flyght School ( Escola Central de Treinamento ) , ao eclodir da segunda guerra mundial a RAF já dispunha de 500 células em atividade, durante seu período total de produção, foram entregues 7.000 unidades sendo empregado por 38 nações , em sua terra natal,  o modelo se manteve em atividade até o ano de 1952 quando foi enfim substituído.

Emprego no Brasil :

No inicio da década de 1930, a aviação naval brasileira estava ingressa em um período efêmero de crescimento e expansão de equipagens e meios , gerando assim a necessidade de ampliar seu quadro de treinadores básicos, que até então era dotada de aeronaves já ultrapassadas oriundas da década anterior . Diversos estudos para a aquisição de novos vetores foram realizados com a escolha recaindo sobre este novo modelo da De Havilland , fabricante o qual ja havia fornecido anteriormente ao pais o modelo DH-60.

A carreira operacional desta aeronave no Brasil tem início em 1933 com o recebimento de 05 células usadas do modelo DH82 e 12 unodades novas de fábrica  do modelo DH-82A, sendo a diferença marcante entre estes modelos a sua motorização e potência, o primeiro empregava um motor De Havilland Gipsy III com 120 hp e segundo um motor De Havillang Gipsy Major com 130 hp (97 kW) .

Destinados á Marinha do Brasil, todas as unidades foram alocadas na Escola de Aviação Naval ( EAvN ) no Rio de Janeiro, onde iriam realizar as tarefas de instrução básica junto a 1º Divisão de Aeronaves de Treinamento . A adoção deste modelo trouxe novo alento as tarefas de instrução da força aeronaval, pois representavam um degrau a mais na concepção de tecnologia perante os vetores em uso até então no Brasil.

Apesar de desempenhar a contento as tarefas de instrução básica,logo no inicio da segunda metade da década de 1930 a baixa quantidade de células no acervo, alinhada a dificuldade de obtenção de peças de reposição importantes, motivaram a aviação naval a busca novamente outra alternativa, que influenciada pelo alinhamento ideológico do governo Vargas ao regime nazista alemão, culminaria na celebração de um contrato para produção de um novo treinador em terras brasileiras o Focke Wulf  FW-44J.

A criação da Força Aérea Brasileira assistiu em 1941,  a incorporação de 10 células remanescentes dos  DH-82 ao acervo da nova força , onde foram primeiramente destinadas a tarefas de instrução na Escola de Aeronáutica, sendo então relegadas a posteriormente a tarefas de ligação,  face ao advento do recebimento de modelos americanos mais novos, enfim as ultimas aeronaves foram desativadas do serviço militar em 1947, sendo repassados a operadores civis.

Em Escala  :

Para representarmos o DH-82 "AVn 2-I-10 " pertencente ao 1º DAVT , fizemos uso do kit Smer sendo esta a única opção disponível na escala 1/48, trata-se de um relançamento de um antigo modelo, com o molde posuuindo as marcações e numerais da RAF em alto relevo, necessitando assim de um extenso processo de correção das superfícies das asas e fuselagem. Empregamos decais confeccionados  FCM presentes no set 48/06.

O esquema  de cores  ( FS ) descrito abaixo representa o   padrão de pintura empregado em todos  os DH-82 e DH-82 da Aviação Naval até o ano de 1941 quando foram repassados a Força Aérea Brasileira .




Bibliografia :

- De Havilland Tiger Moth c  - Wikipedia - http://en.wikipedia.org/wiki/de_havilland_tiger_moth
- Historia da Força Aérea Brasileira , Prof Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html
- Ases sobre os Mares, Prof Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/Asas%20sobre%20os%20mares/index.html
- Aviação Militar Brasileira 1916 / 1984 - Francisco C. Pereira Netto