Krauss Maffei Leopard 1A1 no Brasil


Historia e Desevolvimento :

Seu projeto original teve início em novembro e 1956, visando assim anteder uma solicitação do Exército da Alemanha Ocidental, que tinha por objetivo a substituição dos modelos  americanos M-47 e M-48 , que já se mostravam inadequados as ameaças apresentadas pelas forças blindadas do Pacto de Varsóvia. As especificações iniciais demandavam um veículo da ordem de mais 30 toneladas, com alta mobilidade, devendo ser armado com um canhão de 105 mm . No ano de 1957 a França se juntou ao projeto, nascendo assim o conceito Europa Panzer, no ano seguinte foi a vez da Itália se juntar ao projeto. Diversos protótipos configurados em diferentes tipos foram concebidos para que se procedesse a escolha da versão final , que ocorreu em 1963, sendo declarado vencedor o modelo da Porsche , neste mesmo ano a França abandonou o consorcio optando em desenvolver um veículo novo totalmente nacional.

A produção seriada foi destinada a Krauss Maffei em Munique  , que começou a realizar as primeiras entregas a partir de 1965 ao próprio Exército Alemão, rapidamente o modelo foi exportado para Bélgica, Holanda, Noruega, Itália, Dinamarca, Austrália, Canada , Turquia e Grécia, apresentando excelente desempenho em serviço operacional.

Uma nova versão designada 1A1, surgiu no ano de 1971, e tinha como  aprimoramento a adoção de um novo sistema de estabilização de tiro em movimento, aumentando assim sua eficácia , outras modificações menores foram aplicadas ao projeto original, entre os anos de 1974 e 1977, todas as unidades dos lotes iniciais foram convertidos nesta nova versão. Um total de 789 unidades da versão 1A1 foram assim produzidas ou padronizadas nesta variante, sendo que atualmente alguns países ainda mantem este modelo operacional em suas forças armadas .

Emprego no Brasil 

Na segunda metade da década de 1990 o Exército Brasileiro necessitava modernizar seus Regimentos de Carros de Combate ( RCC ), que estavam dotados dos já obsoletos carros leves M-41. Entre as opções existentes no mercado, o Ministério do Exército optou por adquirir 128 unidades usadas do modelo Leopard 1A1 que pertenciam ao acervo das forças armadas belgas , desta maneira foi criada uma comissão de aquisição que visava identificar as melhores células, obedecendo a critérios como , vida útil do canhão, quilometragem da transmissão e menor número de horas de uso motor. Os veículos escolhidos foram recebidos em 4 lotes , entre os anos de 1996 e 2000, juntamente com estes envios foram recebidos todo o ferramental necessário a manutenção, munições e sistemas de comunicação. 

A implementação deste modelo no Brasil proporcionou grande mudanças na sistemática operacional  da arma blindada do exército, pois toda uma nova infraestrutura teve de ser criada, indo desde o processo de treinamento, instalações, doutrinas e sistemas de transporte ( terrestre ou ferroviário )  , além de uma variada gama de veículos de apoio e socorro  mais adequadas ao porte do novo modelo. 

Além do Centro de Instrução de Blindados ( CIBld ), os Leopard 1A1 foram destinados a 4 Regimentos de Carros de Combate alocados na regiões Sul e Sudeste , ocorre porem que ao longo dos anos a frota enfrentou deficiências graves em sua cadeia logística, proporcionando indicies de indisponibilidade não satisfatórios ( este fato se deu a inexistência de qualquer contrato de prestação de serviço com o fabricante e também devido a idade do projeto desta versão ). No entanto este modelo juntamente com os M-60 americanos elevaram em muito o patamar operacional da arma blindada no Brasil ao longos de seus anos de serviço. 

No anseio padronizar seus meios, o Comando do Exército assinou no ano de 2008 junto ao governo alemão e a fabricante Krauss Maffei, um contrato para a aquisição e modernização e manutenção de 250 unidades do modelo Leopard 1A5 , que começaram a ser recebidos a partir de 2009, possibilitando assim a desativação dos modelos mais antigos. A maioria das unidades remanescentes foram desmontadas para emprego como cadeia de suprimentos aos novos 1A5, porém 39 veículos ainda foram mantidos em operação , sendo destinados a três Regimentos de Cavalaria Blindada , onde substituíram os derradeiros M-41.

Em Escala : 

Para representarmos o Leopard 1A1 " EB 006047 Itatiaia ", empregamos o excelente kit da Revell na escala 1/35, para compormos a versão brasileira, tivemos de produzir em scratch as quatro caixas de ferramentas que são acondicionadas nas laterais do veiculo. Fizemos uso de decais confeccionados pela Decals & Books presentes no set " Forças Armadas Brasileiras ".


O esquema  de cores descrito abaixo representa o padrão de pintura empregado em todos  os veículos  Leopard 1A1,   utilizados desde o recebimento até os dias atuais.


Bibliografia : 
- Leopard 1  - Wikipedia http://en.wikipedia.org/wiki/Leopard_1
- Blindados no Brasil - Um Longo e Arduo Aprendizado  Volume II - Expedito Carlos Stephani Bastos