Cargueiros Canadenses na Amazônia

O inicio do desenvolvimento do DHC-5A , remonta o ano de 1962, quando a empresa De Havilland Canadá , saiu vitoriosa em um processo de concorrência para a produção de uma aeronave STOL ( Short Take off and Landing ), que tinha como missão a substituição de mais de 150 células do modelo DHC-4 Caribou que estavam em serviço no Exército Americano. O primeiro protótipo ocorreu em 09 de abril do ano de 1964, atendendo plenamente aos requisitos , que especificava entre outros aspectos a capacidade de transporte de 41 soldados equipados, um missil Pershing, um obuseiro de 105 mm ou um caminhão de 750 kg. Aliado a estes itens o modelo apresentava ainda robustez para uso em pistas nao preparadas e baixo custo de operação e manutenção.

Infelizmente para a De Havilland Canadá, ocorreram mudanças na política  de aquisição material pelas forças norte americanas, gerando um movimento de fomento da industria nacional,  dando a preferencia na aquisição de equipamentos militares somente por fornecedores locais, gerando assim uma compra de  somente quatro células para uso do Exército Americano. O segundo operador militar do modelo foram as forças armadas do Canadá que adquiriram quinze  unidades,  a serem empregadas em missões de transporte, lançamento de paraquedistas e missões de Buscas e Salvamento ( SAR ). A produção do modelo foi descontinuada em 1986 com uma produção de 123 células destinadas a 21 países, sendo que muitas unidades ainda permanecem em operação até os dias atuais.

Em fins da década de 1960 a Força Aérea Brasileira,  passava por um novo processo de estruturação e renovação de vetores pois o esteio de sua força pesada de transporte ainda era constituída por antigos modelos como os Fairchilds  C-82A e C-119G,  que  já apresentavam graves sinais de obsolescência e desgaste, necessitando assim  de substituição imediata. Com base neste cenário a FAB em 1964 procedeu estudos comparativos entre as opções disponíveis na época, com a escolha final recaindo sobre o modelo canadense DHC-5, foram encomendadas em fins de 1966,  doze  células novas de fábrica  que  começaram a ser entregues em 9 de julho de 1968, sendo distribuídas inicialmente ao 1º GTT ( 1º Grupo de Transporte de Tropa ) , a introdução desta aeronave proporcionou uma nova dimensão a nossa aviação de transporte, pois sua inédita capacidade STOL lhe permitia decolar em uma distância de apenas  347 metros e pousar em míseros 186 metros com peso normal de pouso, operando em pistas despreparadas de terra ou grama. Estas características positivas geraram em 1969 a encomenda de um
segundo lote contemplando mais doze exemplares,que foram recebidos entre  1970 e 1971, sendo  destinados ao 1º/9º Grupo de Aviação  sediado em Manaus e também ao 1º/15º Grupo de Aviação baseado em Campo Grande no estado do Mato Grosso do Sul.

Operando em três unidades de transporte estas aeronaves tiveram um destacado papel no processo de integração da região amazônica, a partir de 1980 a adoção de novos vetores de transporte,  proporcionou a gradativa concentração dos C-115 no 1º/9º GAv completando este processo em 2002, quando todas as células remanescentes foram alocadas nesta unidade. Apesar das excelentes qualidades operacionais e perfeita adaptação ao ambiente amazônico, o peso da idade das aeronaves  começou a se fazer presente, gerando assim o programa CL-X que visava através de concorrência internacional definir um substituto ao lendário Búfalo. A comunicação da escolha do vetor vencedor deste processo ocorreu em 31 de outubro de 2002, com o anuncio do modelo vencedor, o espanhol Casa / EADS C-295. As ultimas células permaneceram em uso até fins de 2008.

Para representarmos o C-115 Búfalo  FAB "2367" empregamos a primeira versão do excelente kit em resina da Liberty Quality Kits na escala 1/72, detalhando em scratch o interior do compartimento de carga. Fizemos uso de  decais do fabricante FCM que compõe o set original do modelo.


Bibliografia :
Revista ASAS nº 33 " DHC-5A Buffalo (C-115)  - Aparecido Camazano Alamino
Historia da Força Aérea Brasileia , Prof Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html
Revista Flap Internacional - " O incrível Buffalo" - http://www.revistaflap.com.br/web/noticias/noticias/4789-o-incrivel-buffalo