Beechs e o Correio Aéreo Naval

Walter H. Beech foi um dos vários personagens dos primórdios da aviação. Em 1924-1925, juntou-se com os projetistas Lloyd Stearman e Clyde Cessna para fundar a empresa Travel Air Manufacturing. No início da década de 1930, Beech deixou a vice-presidência da Travel Air Manufacturing para criar sua própria empresa de construção aeronáutica. A Beech Aircraft Corporation foi fundada em 1932. O primeiro projeto da jovem empresa era uma aeronave de ligação rápida e potente para atender executivos privados. O projeto recebeu o nome Beech Model 17 e o primeiro exemplar voou em novembro de 1932. O modelo de produção, Model 17B, vendeu somente 18 aeronaves para o mercado civil em 1933.

O projeto recebeu melhoramentos estruturais e aerodinâmicos em 1937, originando a versão Model D17 "Staggerwing". Os primeiros exemplares de produção saíram da fábrica ainda em 1937 e no ano seguinte o Exército dos EUA adquiriu três D17S (o sufixo citado, indicava o motor que a aeronave utilizava) para avaliação como aeronave leve de ligação. O avião foi assim  reclassificado como UC-43 Traveler, sendo aprovado e as entregas começaram em 1939. A Marinha dos EUA também recebeu algumas aeronaves desse modelo, renomeadas GB-2 Traveler.

A Aviação Naval da Marinha do Brasil adquiriu quatro Beech D17A em 1940  para o Correio Aéreo Naval (CAN) . A idéia era colocar em prática a tão sonhada Linha Tronco Norte. Saindo do Rio de Janeiro, a rota seguiria por toda a costa do Nordeste até chegar a cidade de Belém/PA. Dali, acompanhando o Rio Amazonas, a linha terminaria em Manaus. Uma ramificação da Linha Tronco Norte, saindo do Rio de Janeiro, também deveria atender a localidade de Ladário. Infelizmente estas linhas não funcionaram de forma regular , pois alguns meses após a compra dos D17A a aviação naval foi extinta e dos quatro aviões, três (matrículas 205, 207 e 208) passaram para o Ministério da Aeronáutica .

Pela Portaria 47, de 20 de fevereiro de 1941, o Correio Aéreo Militar (CAM) e o Correio Aéreo Naval (CAN) foram fundidos em um único serviço aéreo postal chamado Correio Aéreo Nacional (CAN), este último sob a coordenação do Ministério da Aeronáutica. Os Beech D17A que pertenceram à Marinha passaram a prestar serviços ao CAN e, no final do ano de 1941, a própria Força Aérea adquiriu mais seis unidades (5) do mesmo avião (cuja designação militar passou a ser C-43 Traveller) .Somente dez aeronaves da variante D17A foram fabricadas (6). Especula-se que estas sejam as quatro entregues à Marinha em 1940 e as seis entregues à Força Aérea em 1941.

Para representarmos o D-17 D1Be "MB 205" , empregamos o novo modelo da Roden, na escala 1/48, como não há no mercado um set de decais específicos para a versão naval brasileira, empregamos decais oriundos de diversos sets da FCM.



Bibliografia :
- Aviação Militar Brasileira 1916 -/ 1984 - Francisco C. Pereira Netto
Beechcraft Model 17 / D17A - Aviação Naval Brasileira - http://www.naval.com.br/anb/ANB-aeronaves/Beechcraft_D17A/Beechcraft_D17A.htm
Beechcraft Model 17 Staggerwing - Wikipédia - http://en.wikipedia.org/wiki/Beechcraft_Model_17_Staggerwing