Learjets na Força Aérea Brasileira

Na primeira metade da década de 1970 a empresa americana Gates Learjet Corporation lançava seu modelo "35", que possuía o diferencial de ser o primeiro modelo desse fabricante a empregar o conceito "Turbofan" sendo o mesmo integrado com sucesso. Isto representou um enorme salto qualitativo em relação aos modelos anteriores, apresentando sensível diminuição do nível de ruído na cabine de passageiros e também uma significativa redução no consumo de combustível, proporcionando desta maneira uma expressiva elevação nas venda conquistando inclusive clientes nos segmentos de segurança e defesa.

Em fins da década de 1980 a FAB buscava no mercado internacional um vetor para transporte VIP que deveria complementar e gradativamente substituir os já veteranos VU-93 ( HS-125 Hawker Siddeley ), que se encontravam em operação desde 1968, este processo culminou na escolha do Learjet na versão 35A, da qual foram adquiridas em 1987 nove células que receberam a designação VU-35A sendo destinadas ao GTE ( Grupo de Transporte Especial ), onde desempenharam incontáveis missões em proveito do transporte de autoridades em todo o território obtendo excelentes padrões de operacionalidade e segurança. Em 2006 esta unidade passou a incorporar noas aeronaves VC-99 que começaram a substituir os vetores VIP e finalmente o recebimento de novas células Embraer "Legacy" viram a fechar o ciclo substituindo assim toda a dotação de Learjets do GTE.

Durante este processo o Comando da Aeronáutica optou por destinar 03 células para o 1º/6º GAv ( Esquadrão Carcará ), estes aviões passaram por um amplo processo de conversão visando a constituição de plataformas especializadas em Guerra Eletrônica ( ELINT ) e reconhecimento, recebendo para isto radares Thales DR-3000 MK2B, sendo assim designados R-35AM. Outra célula foi destinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial ( DTCA ) sendo designado como U-35A passando a apoiar as missões desta unidade inclusive servindo como plataforma de ensaios para o GEEV ( Grupo Especial de Ensaios em Voo ), finalmente em abril de 2012 as cinco aeronaves restantes foram transferidas para o 6º ETA ( Esquadrão de Transporte Aéreo) preenchendo desta maneira a lacuna deixada nesta unidade com a desativação dos VU-9 Xingu.

Para representarmos o VU-35A "FAB 2712" empregamos modelo da Hasegawa na escala 1/48, kit este que apesar de apresentar um nivel médio de detalhamento possui excelente acabamento e facilidade de montagem. Decais do fabricante FCM presentes no set 48/13 completam o conjunto.

Para ver o review completo do modelo clique aqui.



Bibliografia :
Força Aérea Brasileira - http://fab.mil.br/portal/capa/index.php
1º/6º Gav Esquadrão Carcará - http://www.spotter.com.br/esquadroes/carcara_02.htm
Revista ASAS nº 67 " Coluna do Camazano " - Aparecido Camazano Alamino