Grummans Anfíbios na FAB

Experiências reais de combate durante o transcurso da Segunda Guerra Mundial , demandaram a necessidade da criação e um vetor anfíbio de grande porte especializado em missões de busca e salvamento, desta maneira em 1944 a Grumman começou a esboçar um novo projeto visando atender as especificações necessárias, em 1947 alçava voo o primeiro protótipo sendo adquirido em larga escala pela recém criada Força Aérea Americana e pela Guarda Costeira. Como de costume alterações e melhorias foram incorporadas a versão original, gerando assim a versão SA-16A dotada de radar de busca AN/APS-31A que iniciou suas operações em 1956.
 
Neste mesmo período de aperfeiçoamento das versões do Albatross , o Brasil assumia junto a Organização de Aviação Civil Internacional ( OACI ) o compromisso de promover salvaguardas ao trafego naval e áreo em seu vasto litoral , até presente momento a Força Aérea Brasileira dispunha de uma operação precária neste segmento empregando para isto vetores como os SB-17 e PBY-5A Catalina, e este cenário deveria ser alterado. Desta maneira em 6 de dezembro de 1957 era criada a primeira unidade especializada em busca e salvamento na FAB, sendo denominado 2º Esquadrão do 10º Grupo de Aviação ( 2º/10º GAv). Esta unidade seria provida pela primeira vez também pelo binõmio Avião e Helicóptero sendo dotado por 14 células do modelo SA-16 Albatross oriundas dos estoques da USAF e também por aeronaves de asas rotativas Sikorsky H-19D.
 
Operando com a sede na base aérea de Cumbica , município de Guarulhos - SP, a primeira missão real foi registrada em outubro de 1958 com a busca e localização de uma aeronave civil desaparecida na região Amazônica, a partir daí  se desdobrando entre as bases áreas espalhadas pelo país as aeronaves do Esquadrão Pelicano atuaram em proveito de missões de Busca e Salvamento durante longos 23 anos , período no qual receberam diversas designações entre elas  SA-16 ( 1959 á 1959 ), M-16 ( 1959 á 1964 ), SA-16 ( 1964 á 1970 ) e finalmente S-16 ( 1970 á 1980 ).
 
Infelizmente na segunda metade da década de 1970, o peso da idade já se fazia sentir sobre as células remanescentes, fato este agravado em 11 de março de 1977 com o  fim do acordo militar Brasil - Estados Unidos , tornando assim critico o fluxo de suprimento de peças de reposição para a manutenção de índices aceitáveis de disponibilidade , forçando assim a canibalização de algumas células para a retirada de componentes. Finalmente em 28 de agosto após 52.713 horas de voo, chegava ao fim a carreira do anfíbios da Grumman no Brasil. O legado do esquadrão forjado por este modelo  " Para que os Outros Possam Viver" seria assumido posteriormente em 1981 com o recebimento dos novos Embraer SC-95B.
 
Para representarmos o S-16 "FAB 6530" utilizamos o kit em resina da GIIC , na escala 1/72 modelo este que apresenta bom nível de detalhamento, porém como se trata de um kit em resina é recomendado apenas para modelistas experientes, decais confeccionados pelo próprio fabricante completaram o modelo.
 
 
 
 
 
 
Bibliografia :
- Aviação Militar Brasileira 1916 -/ 1984 - Francisco C. Pereira Netto
- Revista Asas nº 68 Grumman SA-16A Albatross na FAB, por Aparecido Camazano Alamino 
- Historia da Força Aérea Brasileia , Professor Rudnei Dias Cunha - http://www.rudnei.cunha.nom.br/FAB/index.html
- Esquadrão Pelicano 50 Anos , Mauro Lins de Barros, editora Adler